HOMENS

 

    Aproveite as oportunidades

 

    Recentemente relemos o episódio da visão que Pedro teve do lençol descendo com os animais e a ordem para que ele matasse e comesse (At.10:9-16). Em paralelo, Cornélio também foi orientado pelos Céus a que mandasse procurar a Pedro para que lhes trouxesse instrução (At.10:18). Logo em seguida ocorreu o batismo com o Espírito Santo daqueles que estavam em casa de Cornélio (At.10:23-48).

    O detalhe reside no fato de que ainda não haviam sido batizados em água e no fato de Pedro e os que com ele estavam ainda guardarem muita religiosidade. A visão foi o início de uma obra no interior de Pedro, lançando por terra muitos dos conceitos religiosos que tinha (separação, “santidade” – como o cumprimento da lei, etc.).

    Somos muitas vezes expostos a situações (oportunidades) nas quais seremos confrontados com nossa religiosidade. Para mim ficou muito clara a diferença entre oportunidade e aquilo que eu julgaria “oportuno”. Exemplo: surge uma conversa com determinada pessoa e é mencionado algo do Evangelho. Mas, ao invés de começar a anunciar o Evangelho (kerigma), faço um raciocínio mental sobre a pessoa com quem estou conversando e “sua situação”, por ela ter a “vida muito errada” ou ser rica/poderosa ou mesmo “muito estudada”, julgo que ela não vá se interessar pelo Evangelho e perco a OPORTUNIDADE por conta de minha religiosidade. A lição que tirei foi observar como Deus conduziu Pedro a se desprender (ainda que aos poucos) de sua concepção religiosa tradicional e também daqueles que com ele estavam – judeus convertidos – e entender as OPORTUNIDADES: Deus já batizara com o Espírito Santo pessoas com quem Pedro nem achava que poderia se misturar (os gentios); como negar-lhes o batismo nas águas (e, claro, a comunhão, uma vez que passariam a fazer parte do Corpo de Cristo)?

    O sacrifício do Senhor Jesus foi por TODOS. Quem sou eu para avaliar se determinada pessoa vai “receber bem” a Palavra? Este miserável pecador foi alcançado pela Graça (Ef.2:8) e a mesma Graça deve ser COMUNICADA aos outros. As OPORTUNIDADES devem ser aproveitadas e não analisadas para então eu decidir (minha religiosidade vai sempre falar bem alto) se o resultado é “provável” ou não.

    A mim me cabe ser fiel a Ele e anunciar o Evangelho a tantos quantos Ele me der OPORTUNIDADE (1Co.9:16). Tenho-as pedido a Deus! 


                                                                                                                                   Irº. André Bussinger.  Ramá – Espírito Santo - ES    
 

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg