COMO SOMOS

Refletindo: Mateus 16.15-16

 

 

Jesus sabe que nós somos os nossos temperamentos. Jesus também gostava da autenticidade de Pedro. O que havia de bom em seu jeito afoito tornou-se um dom de liderança, que o Espírito Santo foi lapidando.

Quando nos entregamos a Jesus, Seu Espírito molda nossas vidas, para que não sejamos dominados por nossos temperamentos.

Jesus sabe que nós somos os nossos desejos. Jesus também sabia que, no coração de Pedro, pulsavam desejos diversos, tanto o ilegítimo da fama, como o legítimo da relevância.

Jesus sabe que nós somos os nossos familiares. Jesus sabia que a família de Pedro era importante, embora pouco saibamos sobre ela. Jesus sabia que a família de Pedro tinha expectativas para ele. Jesus sabia que Pedro tinha responsabilidades com sua família. Por isto, curou-lhe a sogra (Mt.8.14-17). Jesus não pediu que Pedro abandonasse sua família, mas que cuidasse dela, mas seguisse a Jesus. Quem segue a Jesus cuida de sua família, mas não permite que ela o afaste de Jesus.

Jesus sabe que nós somos os nossos relacionamentos. Nossa identidade se dá no convívio. Não podemos subestimar a força do convívio.

Depois que passou a seguir a Jesus, Pedro não segue mais a multidão. Por isto, foi chamado por Jesus para ser líder. Jesus sabe que somos formados por aqueles com quem convivemos.

Quando o seu relacionamento com Jesus se mostrou definitivo, ele passou o resto da sua vida na comunidade de Jesus, pregando, ensinando e curando.

O Evangelho não nos impede de nos relacionar, mas nos pede que nossos relacionamentos resultem em outras pessoas também transformadas por Jesus.

 

Pr. Israel Belo de Azevedo

Ig. Batista Itacuruça – Tijuca – RJ

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg